Empregabilidade

Especialização para fugir da crise e desenvolver empregabilidade

Pinterest LinkedIn Tumblr
Tempo de leitura: 4 minutos

Investir em capacitação é um dos pilares para manter-se empregado e fazer projeções

O universo corporativo atua sob a ótica dos dados. Independentemente do segmento,  o cenário econômico do momento afeta os negócios e altera não só os rumos das empresas, como também das profissões. Um pouco antes do novo coronavírus chegar, já se falava em novas competências como pré-requisito para a guinada ou retomada da carreira. Frente aos inúmeros desafios que surgiram e diante da incerteza dos que virão, uma afirmação tem sido unânime na visão de especialistas em projeções, professores universitários e organizações focadas em gestão de pessoas: vivemos a era da urgência na atualização constante de conhecimentos, e uma especialização pode ser o caminho para a garantia da empregabilidade.

Antes de pensar em um bom plano de ação voltado ao investimento na sua formação, vamos analisar o terreno. Não bastasse a gravidade do contexto pandêmico na saúde pública, os reflexos da maior crise sanitária da história recente alteraram drasticamente a economia mundial. Aqui no Brasil, um alarmante cenário se intensificou de março de 2020 para cá: em 2021, devemos ter a 14.a maior taxa de desemprego do mundo. De acordo com um levantamento da Austin Rating, agência classificadora de risco de crédito, feito a partir das análises do último relatório do Fundo Monetário Internacional (FMI), o aumento será de 14,5% — nos deixando no pior patamar da série iniciada em 2012. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), atingimos o número recorde de 14,3 milhões de brasileiros desempregados.

Apesar da terra arrasada, é possível vislumbrar novas perspectivas buscando capacitação. Vejamos como uma especialização pode ser o ponto de partida para alavancar de vez seu currículo, aumentando as chances diante de uma seleção e garantindo a empregabilidade.

Conceito de empregabilidade requer Lifelong learning

Imagem da professora Elaine Pacheco - Professora e Coordenadora do Núcleo de Empregabilidade da FAE

Para a professora e coordenadora do Núcleo de Empregabilidade (NEP) da FAE, Elaine Pacheco, criar uma ponte sólida entre o indivíduo e o mercado é um dos pilares do desenvolvimento de carreiras. “Além de atualizar conhecimentos, fazer uma pós-graduação possibilita estreitar a distância entre candidatos e empresas por meio do convívio acadêmico e da ampliação do networking”, analisa. Segundo Elaine, a expansão das conexões acaba acontecendo naturalmente e traz resultados positivos para todos os envolvidos. “Tanto o aluno se torna um candidato em potencial, aumentando as chances de conquistar uma vaga, quanto quem já está inserido no mercado amplia sua gama de oportunidades para fechamento de novos negócios e benchmarketing”, diz.

E justamente esse ponto nos traz a questão: você sabe o que é lifelong learning?

Com mais de 15 anos de experiência nas áreas de gestão de empresas, recursos humanos e empreendedorismo, a também administradora reforça a necessidade de compreensão e vivência do novo termo. “Lifelong learning nada mais é que buscar aprendizado ao longo da vida”, salienta. Não importa quantos diplomas tenham sido conquistados até então, a realidade tem se mostrado exigente em relação ao aperfeiçoamento — o que inclui não apenas se especializar dentro da própria área de atuação, mas, sobretudo, investir em novos saberes para gerar propostas de valor condizentes com as demandas atuais. “Hoje, na hora de uma contratação, por exemplo, o recrutador irá avaliar dois currículos com a mesma experiência privilegiando, sem dúvida alguma, o que apresentar mais diferenciais”, reflete, referindo-se ao peso de um MBA.

Pilares da empregabilidade

Contribuindo com esse processo de maneira pragmática, a FAE possui um sistema que funciona como um pilar da empregabilidade, conectando discentes às oportunidades oferecidas pelas melhores empresas do mercado. Nele, pode ser feito o cadastro de vagas que posteriormente serão buscadas pelos perfis correspondentes via inserção de currículos. As oportunidades ofertadas passam por processo seletivo para serem preenchidas e são destinadas aos estudantes e aos já formados.

“Oferecemos serviços de desenvolvimento de carreira com orientações individuais. Isso possibilita o autoconhecimento de competências e habilidades técnicas fundamentais na elaboração de currículos e nas simulações de entrevistas que o NEP propõe. Com essa orientação, nossos alunos sentem-se aptos a concorrer a centenas de vagas de empresas parceiras, de startups a multinacionais, disponíveis em diferentes canais como murais dentro da FAE, Facebook, grupos no Linkedin, WhatsApp e em nosso Portal da Empregabilidade, disponível no FAE Connect.”

E por aí, como está seu networking? Precisando atualizar a rede de contatos? Tire um tempo para refletir e planejar seus próximos passos.

 

Não é possível comentar.