Tempo de leitura: 7 minutos

Mergulhar no autoconhecimento e expandir seu repertório são maneiras eficazes de avançar com saúde e bem-estar. Você tem pensado em si mesmo ao fazer escolhas?

Para o filósofo Immanuel Kant (1724-1804), a menoridade do homem se encontra na sua falta de decisão e coragem. Isso soa forte para você? Quem sabe é porque esteja na hora de refletir e rever seus objetivos antes de avançar. Um bom ponto de partida inteligente é investir em si mesmo.

Apostar em uma nova carreira ou procurar por cursos de especialização que te façam ampliar o olhar são ótimos caminhos para recomeçar com mais vigor e entusiasmo. De mesmo modo, quem sabe esta é a chance que você estava esperando para largar de vez as famigeradas desculpas — como falta de tempo, dinheiro e motivação — e finalmente abandonar a estagnação profissional, planejando e mirando no futuro com mais perspectiva e generosidade.

Como investir mais em si mesmo

Normalmente, quando falamos em investimento logo nos vêm à mente aspectos econômicos. Porém, resumir sucesso a dinheiro e fama é arriscado. Qual o legado? Qual o significado do que está sendo feito? Ao atravessarmos uma pandemia como a de agora, fica evidente a necessidade de rever conceitos, assim como de melhorar os cuidados com a saúde para haver progresso em diferentes áreas da vida. 

Segundo pesquisa do instituto Ipsos, encomendada pelo Fórum Econômico Mundial, 53% dos brasileiros declararam que seu bem-estar mental piorou um pouco ou muito no último ano. Essa porcentagem só é maior em quatro países: Itália (54%), Hungria (56%), Chile (56%) e Turquia (61%).

Foto do professor Marcelo Karam, professor de Autoconhecimento e Desenvolvimento Pessoal da FAE - Investir em si mesmo vale a pena
Marcelo Karam – professor de Autoconhecimento e Desenvolvimento Pessoal da FAE

Por isso, nunca foi tão importante ressignificar hábitos e valores. Acreditar em si mesmo, focar nos resultados positivos — dando a eles mais luz e voz do que aos pontos críticos — e aprender com suas limitações se tornou crucial. Com mais de 25 anos de experiência em comportamento humano, o professor Marcelo Karam fala sobre lidar com as vulnerabilidades para se lançar no mergulho rumo ao autoconhecimento. “Não há outra maneira de evoluirmos senão a partir do entendimento sobre nós mesmos, quem somos e onde queremos chegar. Só posso compreender o outro e a sociedade na qual estou inserido a partir do meu saber interno”, diz.

Acreditar em si mesmo e assumir o controle

Para Karam, que leciona a disciplina de Autoconhecimento e Desenvolvimento Pessoal na FAE, é nítido como a realidade atual mexeu com a rotina das pessoas a ponto de muitas se debaterem. “O período caótico, o isolamento social e a falta de divisão clara entre casa e trabalho diante do home office exigiu encararmos nossas capacidades e fraquezas de frente”, analisa.

Apesar do contexto preocupante, Karam defende o apropriar-se da crise para sair da zona de conforto e investir em si mesmo para crescer. “Ainda não está claro para onde iremos e até as organizações estão se redescobrindo, afinal, estamos todos às voltas com as mudanças sanitárias, econômicas e sociais. No entanto, eu diria que há momentos em que é possível fazer essas condições serem favoráveis para a sociedade e para si mesmo”, pondera.

“Quando vivemos a incerteza e o improvável, a desacomodação nos obriga a buscar novas possibilidades e a descobrir o novo. A dor se transforma em aprendizado, a perturbação em oportunidade de transformação, e a energia em inovação e mudança”, reflete o consultor.  Para ele, aproveitar a tendência mundial para investir em si mesmo é a base para tudo. “Lutar significa fazer escolhas assumindo o timão do seu barco. Liberdade é ser protagonista e não vítima, focando nas soluções e não nos problemas, enxergando as oportunidades e não as ameaças”, aconselha.

Ter clareza de pensamento é fundamental para o desenvolvimento pessoal

Entre as questões mais emergentes, as principais apontam para o desenvolvimento de novas habilidades, atitudes e reações. Nesse pacote, a inteligência emocional passou a figurar como fator importante na tomada de decisões corporativas — tanto na gestão como no operacional. Karam comenta que, apesar de muito se falar a respeito, até pouco tempo atrás isso não recebia a devida importância na prática. “Muitos discursos incoerentes.”

Com as pessoas longe umas das outras, o papel de um coordenador ou de um professor, por exemplo, se torna ainda mais relevante. “Temos que ter uma tratativa individual com cada um, pois são muitos os contextos que se apresentam atualmente”, pondera. À frente de um grupo, é preciso entender cada história e percebê-la por diversas perspectivas. “Essas relações transcendem o mandar e despejar conteúdo e exigem nos perguntarmos quem é o interlocutor que está por trás”. Para lidar com desafios e imprevistos com resiliência, o profissional do presente precisa fazer uma autoanálise. “No meu curso, priorizamos o desenvolvimento pessoal que, unido às demais disciplinas oferecidas pela FAE, forma um currículo diferenciado e, sobretudo, equilibrado entre técnica e comportamento”, explica. Ao resgatar características como autoconfiança e autoestima, o aluno sente-se viajar numa marcha mais segura voltada para si mesmo. Como ouviu de Mario Sergio Cortella em um evento: “Capriche todos os dias para não mediocrizar a vida”.

Razões para investir em si mesmo de verdade

Antes de estabelecer novas metas, recomenda-se conhecer seu propósito. “Além de terapia e leitura, uma especialização nos ajuda e impulsiona na jornada”, indica Karam. Ele engata e ainda provoca: “Como ser mais criativo se nosso repertório é limitado? Ao sermos exigidos, quanto mais experiências significativas tivermos, mais criativos seremos”. Para o educador, a criatividade está intimamente ligada à coragem de tentar. “Devo ir para áreas que não conheço, pois lidar com a instabilidade e a insegurança é o preço que pagamos para evoluir.”

Para aflorar esse lado, o medo das críticas precisa ser deixado de lado. “O erro vai sempre acontecer, mas não podemos nos apegar à ideia de que só as grandes sacadas é que valem. Precisamos valorizar as pequenas conquistas cotidianas”, acrescenta. O educador traz o exemplo de Thomas Edison, um dos maiores inventores da humanidade — sendo o maior de seus feitos nada menos do que a lâmpada elétrica. “Quantas vezes ele precisou falhar até acertar? A lição é que não se deixou abater e, ao invés de focar no erro, entendeu as formas de não fazer para só então continuar”, contextualiza. Em resumo, não desista se na primeira tentativa você não ficar milionário. “Sem luz, não fazemos nada. Aventure-se no conhecimento.”

A seguir, o professor Marcelo Karam lista algumas valiosas dicas para investir em si mesmo, organizar a rotina e equilibrar tempo, trabalho e saúde.

  1. Não podemos controlar o relógio, isso é fato. O que podemos e devemos fazer é investir na otimização e organização das 24 horas que temos;
  2. Priorize o essencial, estabeleça metas reais e busque terminar o dia feliz ao cumprí-las (ao invés de se sobrecarregar e partir para o modo frustrado);
  3. Reinvente-se diante dos imprevistos e seja flexível. Quando o planejamento não sair conforme o esperado, visualize o cenário, reflita e foque no amanhã;
  4. Além da compreensão das necessidades e urgências, precisamos nos cercar de uma rede de apoio, mesmo que pequena. Se puder dividir, divida;
  5. Aprenda a dizer não e invista em combinações para negociar prazos e até pequenos detalhes que possam gerar ansiedade e, consequentemente, improdutividade;
  6. Cuidado com as distrações, como a internet. Checar o e-mail a cada cinco minutos, ao contrário do que muitos pensam, não o torna mais eficaz.  Que tal 5 minutos para respirar e meditar?
  7. Ser honesto em relação às próprias dificuldades não é sinônimo de fraqueza! Precisamos nos afastar da ideia de que ao expô-las o gestor ou mentor irá nos achar incompetentes. Colocar a autoconfiança em cheque é tóxico e pode adoecer (e aí sim somos obrigado a parar);
  8. Tenha cronogramas diários, semanais e mensais e faça o possível para tirá-los do papel e cumprí-los;
  9. Não se negligencie. A reunião de trabalho é importante, mas aquela consulta médica é mais, assim como o lazer e os momentos em família;
  10. Seja um dos que conseguiram, pela transformação do próprio espírito, emergir da menoridade falada por Kant.

Nos vemos na próxima aula?

Não é possível comentar.